Subscribe Twitter

quinta-feira, 13 de junho de 2013

Guardians - Volume 1 - Luciane Rangel

Ano: 2010
Editora: Lexia
Páginas: 359
Avaliação:
O mundo dos homens é protegido do mundo de malignas criaturas por uma barreira dimensional. Frágil e sob constante ameaça, ela é protegida por doze guerreiros sob os signos das estrelas: os Guardiões. A missão desses jovens, que contam com poderes sobre-humanos, é evitar que catástrofes tomem o mundo, fechando uma fenda na barreira e impedindo a passagem dos monstros. Porém, por mais que tenham incríveis poderes, as fraquezas inerentes aos humanos – o amor, o ódio, a vingança e a hesitação – continuam presentes, tornando a missão um pouco mais difícil do que parecia ser...

Tudo bem, estou devendo resenhas faz ERAS. Mas nessa correria de "lançar" livro (não teve lançamento oficial, mas to correndo atrás de vender, né) acabei deixando de lado.
Admito, também rola uma preguicinha.
(VALEI-ME SENHOR A BUNNY COM PREGUIÇA DE ESCREVER)
Opa, escrever RESENHA.
Mas vamos lá. O livro que vou resenhar hoje é o que tem menos romance, porque é dia dos namorados e eu tô enjoada de romance por hoje (e não é nem meio-dia, enquanto escrevo isso). Vamos de um livro que tem mais ação e pás.
Recebi o livro Guardians 1 pra ler em um booktour promovido pela autora (acho que tá rolando mais um booktour, vai lá) e o livro chegou pra mim quando eu estava naquele período de "mimimi não quero blogar". Assim como livro da Luene (que resenho em seguida, Lu!). Ma'vam'devagar.
Guardians tem essa vibe meio Cavaleiros do Zodíaco, e a ilustração de capa e algumas ilustrações internas são em estilo mangá. Meu primeiro pensamento - ó o preconceito literário - é que teria uma pegada mais infantil. Engano meu. É muita ação num livro só.
A protagonista, tecnicamente, é a Anne, uma brasileira, já adulta, que vive uma vida de princesa na torre - super rica e bem educada, mas não tem ideia de como funciona o mundo lá fora. A história começa quando dois guardiões caem de para-quedas na casa dela (não literalmente) logo depois de ela ser atacada por um youkai (um demônio de outra dimensão). Eles explicam para ela que, hey, surpresa, ela é uma guardiã e eles tem todos que correr para o Japão (!!!) para fechar a barreira entre o mundo humano e o mundo dos youkai, antes que mais deles venham tocar o terror do lado de cá.
Bom, tudo no susto. Como eu disse, muita ação. Não simpatizei de cara com a Anne, minha favorita era a Shermine Shermie. Quando eles chegam ao Japão vamos, aos poucos, conhecendo os outros guardiões, de outros signos. São 12 no total (um pra cada signo, duh) e também tem a Sophie, que era a antiga guardiã de Áries (meu signo yay), da geração anterior de guardiões, que serve de "guia" da nova geração.
Vou confessar que a princípio fiquei um pouco desorientada com o livro. Quando um livro tem muitos personagens, minha tendência é ter vontade de pular páginas - até porque, o livro varia os pontos de vista, de um personagem para outro. E eu ficava querendo pular logo pro ponto de vista dos meus personagens preferidos :p
Mas isso tudo acaba sendo bem relevante porque, desde que a Anne chega no Japão, você percebe que tem algo errado na parada. Quando estamos vendo as coisas pelo ponto de vista da Sophie, ela dá informações que não condizem com o ponto de vista dos guardiões. Cheguei a voltar umas páginas, porque não fazia sentido. Ela insiste em desprezar a Anne e dizer pelas costas dos guardiões - exceto o seu namorado, que certamente sabe de alguma coisa - que aquela menina obviamente não é a Guardiã de Câncer, como alega. Sophie, aliás, não é como um baú de segredos, ela é um contêiner de segredos. Sua filha, Hikari, tenta a todo custo entender as atitudes esquisitas da mãe, mas no meio de todos esses dramas familiares  (tem um bocado de dramas amorosos no livro também, apesar do que eu disse antes) ninguém tem exatamente tempo sobrando para terapia: o portal do mundo youkai está se abrindo cada vez mais e eles não tem mais tempo de se preparar e nem de esperar que a energia das novatas desperte.
Bom, eu acho que eu até sei qual é - opa, quais são - os grandes segredos da Sophie que podem desandar a missão dos Guardiões, mas a Luciane fez a coisa de um jeito que eu não tenho mais certeza de nada. Ela dá um monte de pistas, mas ao mesmo tempo, fiquei me perguntando se aquilo fazia sentido. E como eu disse - quando você menos espera, quando você está lá, preocupado com o andamento de algum drama dos guardiões, de repente, BAM, ataque youkai. Isso só mostra que a barreira está se abrindo cada vez mais, o tempo está diminuindo e os guardiões ainda não resolveram os problemas entre si o suficiente para que consigam trabalhar em equipe para fechar a barreira.
(Notem que até minha resenha está em ritmo acelerado - eu escrevo isso sacudindo os pés sem parar. Eu li o livro todo nesse empolgação.)
Enfim, não tem muito mais o que eu possa dizer sem dar spoiler. Minha vontade É de dar spoiler, esse foi o tipo do livro que li e fiquei me roendo pra comentar com alguém que tivesse lido.
Bom, essa resenha está enorme então aqui vai o "tl;dr": vale muito a pena e o final vai te deixar se roendo pra ler o próximo. A história vai te dando elementos para criar teorias e de repente você vê que não tem páginas suficientes para terminar a história E revelar todos os segredos (claro que não, é uma saga). Eu só tô esperando acalmar a tormenta das contas pra comprar o meu.

Ok, por hoje é isso, desculpem a resenha enorme (Sorry, not sorry). Logo volto com a resenha de Instituição para Jovens Prodígios - A Seleção, e mais notícias sobre meu livro também.

Ah, final thought: se alguém quiser comprar meu livro de contos, Disturbia, na minha mão, ele sai por 25 reais sem frete e vai autografado ;)



3 comentários:

Denise (@dnisin) disse...

Eu li esse livro essa semana e não gostei muito. Achei a personagem principal bem chata e acabei me apegando pelos secundários. O livro é cheio de furos na questão do tempo, eles tem 3 meses para fechar a barreira e depois 7 e dai o desfecho fica para o próximo. o.O

Sem contar que o numero de personagens foi mal elaborado, são muitos pra detalhar cada um. Não lerei os outros livros da trilogia. :/

Bjs, @dnisin
www.seja-cult.com

Desventuras em Série disse...

Ouço todo mundo falando coisas negativas sobre esse livro para ser sincero, e a capa dele é legal, mas talvez não agora no momento.
http://realidadecaotica.blogspot.com.br/

Caleb Henrique disse...

Só conhecia de capa, mas: fiquei curioso depois de sua resenha, Ms. Boltão. Bastante curioso mesmo. Comprarei. Não sei quando, mas o farei. Obrigado pela indicação e: que saudades que eu tava disso aqui!

Assim me despeço, com a promessa de voltar.
E como há braços, abraços.
Caleb Henrique - Viajante Literário

Postar um comentário